Poluição Electromagnética

Existem já evidencias mais do que suficientes de que a exposição contínua a campos electromagnéticos no nosso meio ambiente contribuem, e são muitas vezes, a causa de doenças graves.

As autoridades estão cada vez mais cautelosas no que diz respeito à sua posição em relação ao impacto dos campos electromagnéticos na nossa saúde. Apesar de não tomarem medidas concretas vão recomendando a prevenção e a responsabilização para lidar com este problema, enquanto a “ciência” não entrega a “prova irrefutável” de que realmente a exposição a campos electromagnéticos milhares de vezes mais intensos do que os que existiam à 100 anos atrás, resultantes da actividade electromagnética natural do nosso planeta, estão a causar um impacto significativo em todas as formas de vida.

Quando nos lembramos das controvérsias à volta do tabaco, fumadores passivos, asbestos, BSE e mais recentemente do aquecimento global, percebemos que temos um problema em lidar com questões sérias relacionadas com a saúde de todos, e até do nosso planeta, quando essas questões interferem com o nosso estilo de vida e tem repercussões profundas na nossa sociedade.

A maior parte das vezes gostaríamos que estes problemas não fossem nossos, deixando para outros (cientistas e “especialistas”) a complicada tarefa de os resolver. Mas esta não é a solução, porque não podemos depositar nos outros a nossa vida e a dos nossos quando esses outros estão comprometidos com os seus próprios interesses.

Entre esses outros encontram-se governos, empresas, cientistas. Cada um deles com a sua própria agenda e conjunto de interesses.

Para tomar uma decisão consciente necessitamos de perceber quais as intenções de cada um desses grupos e assumir que é nossa a responsabilidade como indivíduos de assegurar o nosso próprio bem estar e segurança. Para isso precisamos de estar conscientes e informados.

Os EMF são o resultado do fluxo da corrente eléctrica proveniente da central eléctrica, onde a electricidade é produzida, para os lugares onde esta vai ser usada.

Os EMF podem ser medidos perto dos cabos pendurados entre postes de alta tensão, perto de subestações eléctricas e perto dos cabos eléctricos (tanto acima como abaixo do solo). Os cabos eléctricos em nossa casa, os nosso electrodomésticos e as luzes, todos produzem EMF.

 

Na frequência normal (50Hz) da nossa corrente eléctrica, os campos eléctricos e os campos magnéticos têm de ser considerados separadamente. E cada um tem normas de segurança diferentes.

Nas altas frequências usadas, por exemplo, nas telecomunicações, os campos eléctricos e os campos electromagnéticos estão de tal forma interligados que normalmente são identificados como radiação electromagnética. Microondas, raios-x, ondas rádio e luz são também ondas electromagnéticas.

“Frequência” significa o número de vibrações por segundo, assim, alta frequência significa mais vibrações por segundo.

Nas nossas casas estamos rodeados por EMF provenientes das instalações eléctricas e dos electrodomésticos que usam essas mesmas instalações eléctricas.

Estamos também rodeados de radiação magnética proveniente de varias fontes como GSM, WiFi, DECT e mais recentemente do TDT.